Interforensics 2021: Paraná ganha a vice-presidência do Conselho Nacional de Dirigentes de Polícia Científica e passa a integrar rede de Perfis Balísticos
06/11/2021 - 14:32

O diretor-geral da Polícia Científica do Paraná, Luiz Rodrigo Grochocki, é o novo vice-presidente do Conselho Nacional de Dirigentes de Polícia Científica (CONDPC). A eleição ocorreu no fim desta sexta-feira (05/11), durante a reunião de dirigentes, no Interforensics 2021, na cidade de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. No mesmo evento, ficou definido que o Paraná integrará a Rede Nacional Integrada de Perfis Balísticos. Estes e outros assuntos estão na Carta de Foz do Iguaçu, documento que será encaminhado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública e que tem como objetivo pautar políticas públicas na área de ciências forenses.

A vice-presidência do Conselho tem duração de um ano e passa a valer imediatamente após a eleição. O Conselho tem um presidente e cinco vice-presidentes, sendo um de cada região. O papel do vice-presidente no Conselho é organizar as demandas e propostas, colher as informações da região que representa, para representar a região no Conselho de Dirigentes perante os outros órgãos, tais como o Ministério da Justiça, Secretaria Nacional de Segurança Púbica (Senasp), e outros.

“É uma função importante dentro do conselho e, portanto, aumenta a responsabilidade tendo em vista que é necessário ficar atento às necessidades atuais e futuras da região que represento, organizá-las e contribuir para que os projetos possam ser implantados. No entanto, tenho certeza que com o apoio de toda equipe será possível alavancar ações que vão ampliar a capacidade das polícias científicas”, disse Grochocki. “O Paraná tem várias ações referenciais e vamos contribuir com o Brasil”, completou o agora vice-presidente.

Ainda durante a reunião do Conselho Nacional de Dirigentes de Polícia Científica foram definidos diretrizes e padrões para as polícias científicas de todo país e da Polícia Federal, as quais constam na Carta de Foz do Iguaçu. No documento estão sugestões e o balizamento de diversas questões, entre eles assuntos financeiros, recursos humanos e técnicas periciais, com o objetivo de melhorar cada vez mais a gestão nas polícias científicas, além de pontuar evoluções necessárias para a área.

Consta ainda na Carta de Foz do Iguaçu, que o Paraná será o primeiro estado a integrar a Rede Integrada de Perfis Balísticos do Sistema Nacional de Análise Balística (SINAB) um projeto do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP). A escolha do Paraná deu-se após criteriosa avaliação documental e também por meio de visitas técnicas de representantes do órgão federal, que constataram a existência de condições técnicas para receber os equipamentos para este laboratório. Além do Paraná, outros cinco estados integrarão esta Rede.

“O objetivo dessa Rede Integrada é correlacionar o perfil balístico das armas que são encontradas em locais de crimes e que deram origem a projeteis encontrados em mortes violentas. Esses projeteis são coletados, processados e inseridos nesse banco de dados nacional e depois analisados para buscar relações entre as armas nos diversos estados do país. Por exemplo, se uma arma que causou um homicídio no Paraná foi utilizada em um homicídio em outro estado, essa base de dados vai permitir correlacionar os dois casos e atribuir a responsabilização ao esse cidadão que cometeu o crime”, explicou o novo vice-presidente do CONDPC, Grochocki.

O encontro entre os dirigentes acontece duas vezes por ano, para o debate de políticas públicas na área pericial inerente à segurança pública. E após quase dois anos, foi possível fazê-lo de forma presencial, conforme destacou o Presidente do Conselho Nacional de Dirigentes de Polícia Científica, Marcos Egberto Brasil de Melo.

“A oportunidade de estarmos juntos, de forma presencial, é o grande diferencial desse encontro para que essas discussões possam fluir e avançar nas diversas pautas da perícia e Polícia Científica do Brasil, incluindo as previsões e o planejamento futuro da área. Nesses três dias de reuniões de trabalho estão inseridos alguns convidados que palestram sobre diversos temas, por exemplo, integrantes do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, falando sobre os trabalhos que desenvolvem, que tem uma relação muito próxima com a perícia”, explicou.

REUNIÕES - Durante três dias do Interforensics 2021, que encerrou nesta sexta-feira (05/11), aconteceram reuniões técnicas com 24 dirigentes de Polícia Científica do Brasil. O encontro promoveu discussões e o fortalecimento sobre os procedimentos e padronizações voltadas às diversas áreas da Polícia Científica e resultou na Carta de Foz do Iguaçu.

GALERIA DE IMAGENS

Últimas Notícias