Paraná e São Paulo buscam mais integração e troca de experiências em segurança pública
30/06/2021 - 17:47

O Secretário da Segurança Pública do Paraná, Romulo Marinho Soares, juntamente com uma comitiva composta por representantes das forças de segurança do estado, esteve, nesta terça-feira (29/06), em São Paulo, para visitar as instalações das instituições de segurança pública daquele estado. O objetivo foi buscar conhecimento das boas práticas e projetos que podem ser aplicadas no Paraná. Ainda no encontro, foi tratado sobre operações integradas que devem ser desencadeadas nos próximos meses.


O secretário da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares, apresentou sua equipe e falou sobre alguns dos trabalhos que estão sendo feito no Paraná, dentre eles, a transferência das carceragens das delegacias à gestão do Departamento Penitenciário do Paraná, o que possibilita que o policial civil cumpra sua atividade de investigação. O secretário também agradeceu pela oportunidade de conhecer as sedes das unidades de Segurança Pública de São Paulo, para aperfeiçoar e implementar novas ideias no Paraná.


“Consideramos a estrutura da Segurança Pública de São Paulo uma referência, e por isso, viemos para cá com o intuito de verificar e absorver os pontos fortes deste estado, para levar essas ideias e aperfeiçoar, dentro da realidade e apropriada aplicação da Secretaria, a fim de contribuir para a redução da criminalidade e para a melhoria da segurança pública dos nossos paranaenses”, afirmou. “A palavra que levamos para o Paraná é aprendizado”, ressaltou.

 

A primeira visita ocorreu no Centro de Operações Integradas (COI) da Secretaria da Segurança Pública de São Paulo (SSP) para tratativas sobre a continuidade de operações conjuntas entre os dois estados. A apresentação foi do coordenador geral do COI, general Carlos Sérgio Câmara Saú, de como seria a dinâmica das visitas às instituições e sobre o COI. Na sequência, o coronel Omar Tumas fez uma apresentação sobre as operações já realizadas em conjunto e uma proposta de operação entre os dois estados, Paraná e São Paulo, para breve.


Na sequência, a visita foi na delegacia geral da Polícia Civil de São Paulo, onde o diretor do Departamento de Inteligência de Polícia Civil (Dipol), Delegado Caetano Paulo Filho, apresentou sua equipe, falou sobre a importância da troca de experiências entre os estados, já que o crime não tem fronteiras, e também colocou-se à disposição da secretaria da segurança do Paraná para ações integradas.

De acordo com o delegado-geral da Polícia Civil do Paraná, Silvio Jacob Rockembach, a visita foi avaliada de forma positiva. “É muito importante essa troca de experiência, isso facilita bastante quando precisamos planejar, deflagar operações interagências, principalmente, nas fronteiras do Paraná com São Paulo. É uma oportunidade ímpar para nós conhecermos novas formas de trabalho, trocar experiências e levar para o nosso estado práticas que a gente eventualmente possa ter visto nesta visita técnica, que vai contribuir para a melhoria dos trabalhos no Paraná”, pontua.


Também foi apresentando o Instituto de identificação da Polícia Civil de São Paulo, local em que passam todos os documentos de identificação da população de São Paulo. Nesta instituição, também foi mostrado como são analisados os trabalhos da papiloscopia e reconhecimento facial, os quais permitem cruzamento de dados e maior eficiência investigativa. Junto a isso, foi exibido, como exemplo à comitiva, um caso de elucidação criminal. A visita neste local também contou com a presença do Secretário da Segurança Pública de São Paulo, general João Camilo Pires de Campos.


Outro local que a comitiva da Sesp visitou foi o Centro de Operações da Polícia Militar do Estado de São Paulo (COPOM), o maior da América Latina, responsável pelo gerenciamento de crises do estado de São Paulo como manifestações e reintegração de posse. Este local também faz o monitoramento de câmeras de segurança, públicas e privadas, instaladas na região de São Paulo, projeto conhecido como city câmeras, com aproximadamente quatro mil câmeras. Também foi apresentada a inovação da Polícia Militar de São Paulo, que tem as câmeras acopladas ao uniforme dos policiais (bodycam), as quais permitem acesso em tempo real das ocorrências registradas pelos policiais militares. O uso desta tecnologia pela instituição teve início no dia 01 de junho deste ano.

 

“A visita à Polícia Militar de São Paulo, de caráter técnico, podemos resumir que foi muito produtiva. Tivemos oportunidade de trocar experiências com os diversos segmentos de segurança Pública deste estado, como a Polícia Militar, Polícia Civil, Departamento de Criminalística e o Departamento de Polícia Científica. Isso enriquece, não só nosso conhecimento, como também nosso know-how, a nossa experiência como operador de Segurança Pública, de modo que as apresentações feitas serviram de parâmetro para procurarmos ajustar ideias que deram certo na corporação de SP, adaptarmos para realidade da PMPR, ou para a SESP do Paraná”, completa, o subcomandante-geral da PM-PR, coronel Rui Noé Barroso Torres.


Já o comandante do Corpo de Bombeiros do Paraná, coronel Gerson Gross, pontua que a visita em São Paulo é uma nova realidade em relação à Segurança Pública, aplicada pela Polícia Militar e também às forças da Segurança do estado, a qual pode ser utilizada com as mesmas estratégias no Paraná.

 

“O que chamou atenção foi a visita no COPOM de São Paulo, onde podemos ver que o Corpo dos Bombeiros trabalha integrado com a polícia Militar e a apresentação do uso das bodycam, que no meu ponto de vista pode ser aplicada no nosso Bombeiros, pois o uso das câmeras corporais pode ajudar na melhoria do nosso trabalho, principalmente, de polícia administrativa nas fiscalizações”, comenta Gross.


A última visita em São Paulo foi na Polícia técnico Científica, coordenada pelo superintendente Maurício Rodrigues Costa. Um dos pontos discutidos foi a quantidade de amostras de DNA que é feita no local. Também foram apresentados os Laboratórios de DNA e de Análises Toxicológicas. Segundo o diretor-geral da Polícia Científica do Paraná, perito Luiz Rodrigo Grochocki, a Polícia Científica de São Paulo é uma referência a outros estados, pois é uma das primeiras do país e, também, oferece a possibilidade de integração e melhoria para o estado do Paraná.


“Os números da Polícia Científica de São Paulo são impressionantes, com a ordem de milhões de vestígios processados. Então é um case muito grande, um volume gigantesco que nos faz refletir sobre o processo dos procedimentos e toda a organização da Polícia Científica para tratar grandes volumes de vestígios”, avalia Grochocki. “Sempre temos identificado várias iniciativas que podem ser compartilhadas entre os estados, tanto o Paraná compartilhando boas práticas, quanto São Paulo, que pode contribuir com experiências positivas para melhorar o serviço da criminalística e da medicina legal do Paraná”, completa.


Para o vice-diretor do Departamento Penitenciário do Estado (Depen), Luiz Francisco da Silveira, a integração com as forças de segurança dos dois estados trará benefícios ao Paraná. “Realmente nós saímos daqui com uma impressão muito boa, pois poderemos desenvolver alguns projetos no âmbito do Depen e apresentar à Secretaria, de forma conjunta com as outras forças, para que possamos ter maiores e melhores resultados para a melhoria da segurança pública”, falou. “Essa integração nos deu a oportunidade de adquirir novos conhecimentos, os quais, certamente vamos buscar implantar no sistema penitenciário”, acrescentou.


PRESENÇAS – Participaram da comitiva paranaense, o Secretário da Segurança Pública do Paraná, Romulo Marinho Soares; o Subcomandante-geral da PM, coronel Rui Noé Barroso; o Delegado-geral da Polícia Civil, Silvio Jacob Rockembach; o Comandante do Corpo de Bombeiros do Paraná, coronel Gerson Gross; o Vice-diretor do Depen, Luiz Francisco da Silveira; o Diretor-geral da Polícia Científica, Luiz Rodrigo Grochocki; o Coordenador do Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública da Região Sul (CIISP-Sul), coronel Luiz Augusto de Oliveira Santiago; o Coordenador do Departamento de Inteligência do Paraná, delegado Sivanei de Almeira e o chefe de tecnologia da informação e comunicações, Major João Batista Tsuruda Amaral.


Na comitiva de São Paulo estavam o Secretário da Segurança Pública de São Paulo, general João Camilo Pires de Campos; o coordenador geral COI, General Carlos Sérgio Câmara Saú; o coordenador COI, Coronel Omar Tumas; o coordenador adjunto COI, Major Gustavo Pereira Lima Magnani; o representante da polícia civil no COI, Delegado Waldomiro Pompiani Milanesi; o representante da Polícia Técnico Científica no COI, Perito Antônio Vitório Cecere; o coordenador operacional PMSP, Coronel Rogério Silva Pedro; o comandante do Copom/Cobom, Coronel Danieli Cristina Oliveira de Freitas; o Comandante-geral da PMSP, Fernando Alencar Medeiros; o Subcomandante da PMSP, Marcus Vinicius Valério; o Superintendente da Polícia Técnico Científica, Maurício Rodrigues Costa; o diretor do Instituto de Criminalística, Mauricio Lazzarin, o diretor do IML, Alexandre Cirino e demais autoridades das forças de segurança de São Paulo.

GALERIA DE IMAGENS

Últimas Notícias