Sesp e Sesa firmam parceria para utilização do laboratório multiusuário da Polícia Científica
25/05/2021 - 17:50

Um Termo de Cooperação Técnica firmado na manhã desta terça-feira (25/05) entre a Polícia Científica do Paraná e o Complexo Hospitalar do Trabalhador (CHT) vai permitir o uso compartilhado do laboratório multiusuário de patologia forense do Instituto Médico Legal (IML), responsável, entre outros exames, pelo apontamento da causa ou momento da morte de uma pessoa, muito importante em casos de homicídios. Além disso, possibilitará celeridade na análise de exames de patologia que levava em média de sete a 10 meses, e agora poderá ser concluído em até 10 dias, e aumentará o número de patologistas em atividade.

O convênio foi assinado na sede da Polícia Científica entre as gestoras das instituições, a Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp) e a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), além das beneficiadas. Na ocasião, também houve o descerramento da placa de inauguração do laboratório multiusuário de patologia forense, o qual passa a ser de uso compartilhado a partir de agora. O acordo entre as pastas inclui a disponibilização do espaço físico e dos equipamentos cedidos pela Polícia Científica e em contrapartida, o CHT irá disponibilizar quatro patologistas e um técnico de laboratório de patologia para realização dos exames anatomopatológicos tanto do Instituto Médico Legal (IML) quanto do CHT.

“Essa parceria representa um grande orgulho para nós do Paraná, pois possibilita trazer para os laboratórios, uma estrutura adequada e moderna para fazer com que os processos da Polícia Científica consigam dar retaguarda à solução dos casos em todos os aspectos da segurança pública do Paraná”, ressaltou o secretário Chefe da Casa Civil, Luiz Augusto Silva.

De acordo com o secretário da Segurança Pública do Paraná, Romulo Marinho Soares, esta parceria faz parte de um planejamento estratégico para pronta resposta à sociedade. “Esta parceria que compartilha o uso do laboratório multiusuário, garante a celeridade na finalização de exames importantes para inquéritos, nos quais restam dúvidas e, com isso todas as instituições envolvidas serão beneficiadas, mas principalmente a sociedade que terá uma resposta precisa sobre o caso analisado”, afirmou.

A parceria possibilitará que a estrutura da Polícia Científica seja utilizada pelos profissionais do CHT para a realização de exames patológicos e, com isso, haverá uma relação colaborativa. A Polícia Científica poderá fazer algumas análises que até então não eram possíveis na instituição e também terá mais profissionais à disposição, o que poderá diminuir o tempo de espera da análise clínica de, em média, sete a 10 meses para 10 dias. Já o CHT terá oportunidade de utilizar o laboratório com equipamentos modernos e uma melhor estrutura, além de oferecer profissionais qualificados.

Para o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, a parceria foi possível graças a liberdade do Governador para potencializar as atividades das instituições e a soma de esforços entre as instituições envolvidas e, com isso, quem ganha é a população. “Nós conseguimos fazer andar um projeto, graças a um governo sem amarras, que dá autonomia para os secretários e diretores trabalharem e buscarem o melhor para suas instituições. São ações que vão beneficiar as pessoas, pois de um lado nós temos equipamentos modernos e de outro nós ganhamos velocidade para todos aqueles processos que acionam a necessidade dos laudos do laboratório de patologia”, destacou.

Nas questões de crime, o exame de patologia é bem significativo e fundamental para determinar, por exemplo, o momento da morte ou o que causou a morte de uma pessoa, principalmente nos casos de mortes violentas, por isso, de acordo com o Diretor da Polícia Científica do Paraná, Luiz Rodrigo Grochoki, será um ganho colaborativo para as instituições.

“Este é um exame de microscopia simples, mas objetivo e incontestável, muito importante nos casos de homicídio, pois poderá comprovar, por exemplo, se uma pessoa morreu antes ou depois de cair de um prédio. Também indica se a pessoa estava viva ou morta no momento que ocorreu um acidente de trânsito como quando o motorista bate o carro e morre, ou seja, o exame identifica se ela foi causada devido a um mau súbito ou pela colisão em si”, explicou Grochoki. “O exame ajuda a esclarecer uma série de dúvidas do momento da causa mortis”, ressaltou.

De acordo com o convênio, os laudos deverão ser emitidos em até dez dias úteis, a partir do recebimento do material no IML, seja ele oriundo do CHT ou coletado no próprio Instituto. Já os laudos de urgência terão prazo de emissão de 72 horas.

“É um convênio que otimiza esforços. O IML tem uma estrutura tanto predial para acomodar um laboratório de patologia, quanto de equipamentos. Ao mesmo tempo, o CHT precisa utilizar um ambiente de laboratório de patologia, então, não vai precisar reformar, nem encontrar outro local para sediar o laboratório, pois nada mais auspicioso do que unirmos isso. A partir da semana que vêm, o CHT já começa a realizar os seus exames de patologia aqui”, explicou o Diretor do Instituto Médico-legal do Paraná, André Ribeiro Langowiski.

Segundo o diretor superintendente do Hospital do Trabalhador, Geci Labres de Souza Júnior com essa cooperação técnica, o laboratório do CHT será desativado e este espaço físico poderá ser utilizado para ampliação do atendimento neonatal do Hospital do Trabalhador, possibilitando a inauguração da primeira UTI de grande prematuridade do Paraná.

“É uma parceria inteligente e que tem contribuição para as duas instituições e para as pessoas que fazem uso delas. Temos uma gama de exames necessários a serem processados tanto no CHT quanto no IML e com esta parceria nós encurtamos o prazo dos laudos tanto nos exames criminais, quanto nas respostas aos nossos pacientes. Os investimentos são pequenos e o ganho gigantesco”, informou o .

PRESENÇAS - Participaram do evento as seguintes autoridades: secretário da Segurança Pública do Paraná, Romulo Marinho Soares; secretário Chefe da Casa Civil, Guto Silva; secretário Estadual da Saúde, Beto Preto; diretor superintendente do Complexo Hospitar do Trabalhador, Geci Labres de Souza Júnior; diretor do Instituto Médico Legal (IML), André Ribeiro Langowiski; diretor do Instituto de Criminalística, Mariano Schaffka Netto; representando a Polícia Militar do Paraná, coronel Gelson Marcelo Janke; representando o Corpo de Bombeiros, coronel Manoel Vasco Figueiredo; chefe de gabinete da Secretaria da Saúde, Dr. César Augusto Neves Luiz; chefe do Departamento de Inteligência do Paraná, delegado Silvanei de Almeida Gomes; chefe do laboratório de Patologia, Regina de Paula Xavier e a assessora da diretoria do complexo hospitalar do Trabalhador (CHT), Andréa Molinari.

GALERIA DE IMAGENS

Últimas Notícias