Tomam posse 32 novos servidores da Polícia Científica
20/10/2020 - 16:55

Trinta e dois novos servidores da Polícia Científica do Paraná tomaram posse nesta semana na Secretaria de Estado da Segurança Pública. São dois médicos-legistas, quatro auxiliares de necropsia e vinte e seis peritos criminais, que irão atuar nas unidades da instituição do Interior do Paraná.

A incorporação de novos profissionais faz parte do plano de recompletar o quadro de servidores da Segurança Pública, desenvolvido pelo Governo do Estado em parceria com a Secretaria. Outras seis vagas devem ser preenchidas nos próximos dias. 

 “Trabalhamos para poder fornecer um serviço mais adequado para todos os paranaenses e esse reforço no efetivo da Polícia Científica vem para somar, para trabalhar em conjunto com nosso quadro atual e melhorar a estrutura, que está defasada há anos”, disse o secretário de Estado da Segurança Pública, Romulo Marinho Soares.

Na atual gestão do Governo do Estado a Polícia Científica tem recebido reforço no quadro efetivo. Já no ano passado foram nomeados 96 profissionais para a instituição, entre médicos-legistas, peritos criminais, toxicologistas, odontolegistas e químicos-legais que já estão atuando em unidades de todo o Estado.

INTERIOR - O diretor da Polícia Científica, Luiz Rodrigo Grochocki, informou que os peritos criminais contratados vão reforçar as unidades do Instituto de Criminalística do Interior do Estado. “Os novos servidores vão compor sedes da Polícia Científica, proporcionando serviço de criminalística em várias unidades. Isso é resultado de um esforço do Governo do Estado, que proporcionou a contratação desses peritos criminais remanescentes do concurso de 2017 e que estão sendo integrados na Polícia Científica em 2020”.

CURSO - Os recém empossados vão passar por um curso de formação, que se inicia ainda este mês e terá conclusão em fevereiro do próximo ano. O primeiro módulo será feito de 19/10 a 16/11, totalmente de forma online, devido à pandemia do coronavírus. Após, devido a especificidade do trabalho, a capacitação será de forma presencial. As regiões do Estado que cada servidor irá atuar serão divulgadas somente depois da conclusão do curso de formação.

“Os peritos criminais vão reforçar unidades do serviço de criminalística. São todos profissionais que vão para o Interior suprir uma carência de bastante tempo no serviço de criminalística”, explicou Grochocki. “Quando assumi, a Polícia Científica estava com efetivo baixo para sua necessidade nesta situação não temos como dar pronta resposta para a sociedade. O que encontrei foram pilhas de processos parados, sem efetivo e sem estrutura. Fizemos um planejamento para melhoria e, do ano passado para cá, estamos sendo atendidos com mais pessoas e equipamentos, fruto de parcerias com do Estado e com o Governo Federal. É uma grande satisfação ver como evoluímos”, completou o secretário Marinho.

EXPECTATIVAS - Leandro Rodrigues, um dos 32 novos servidores empossados, falou sobre as expectativas para o cargo: “Eu tinha a esperança de ser chamado e agora estou muito animado por assumir uma função de grande responsabilidade”, disse ele. “Penso em segurança pública, em investigação e em fazer o trabalho técnico e imparcial, visando que os fatos sejam esclarecidos e que as pessoas tenham a sentença de acordo com o que realmente aconteceu. Fazer com que através de uma análise técnica e científica os fatos sejam comprovados e a Justiça seja feita”.

Renato de Almeida Trevisolli, que também tomou posse, pretende fazer carreira na instituição. “Espero poder contribuir o melhor possível com o serviço, que a gente sabe que é um trabalho de bastante relevância e importância para a sociedade como um todo, e espero fazer meu melhor e poder crescer profissionalmente”,disse.

Já para Guilherme Martos Berno, a demora para a posse colaborou para o crescimento profissional. “Fiz o concurso na época que estava me formando e acabei fazendo um mestrado e, justo na conclusão, eu fui convocado pela Polícia Científica. Estou satisfeito, realmente é um sonho. Espero cumprir as funções da melhor forma possível e continuar me aprimorando para contribuir com o legado desse trabalho da perícia criminal”, declarou.

Willy Siqueira Puntigam tomou posse como perito criminal. Segundo ele, entrar na Polícia Científica é resultado de muito estudo e foco. “Vou me dedicar ao máximo a esse curso de formação, aproveitar essa oportunidade, que é para poucos e, na sequência, pretendo usar todo esse conhecimento e a minha experiência anterior, em outras áreas de trabalho, para fazer a diferença na Polícia Científica”, disse ele.

GALERIA DE IMAGENS

Últimas Notícias